Sabemos Escrever

Os alunos têm muito a dizer. Eis aqui mais um espaço para que suas idéias circulem...

23.9.06

O QUE EU PENSO SOBRE A EDUCAÇÃO NO BRASIL HOJE.

No Brasil, apesar da educação ter alcançado níveis mais satisfatórios de crescimento dos alunos que freqüentam ou que entram na escola, há alguns fatores são inquietantes e até mesmo preocupantes.
Se levarmos em consideração o desenvolvimento econômico da Região Sul, essa foi a que menos cresceu em relação às taxas de analfabetismo e, até mesmo o Sudeste por ser uma Região mais desenvolvida em relação às demais do país, por apresentar um índice populacional urbano maior que rural e por então ter mais condições de acesso escolar à população, apresentou crescimento baixo em relação as demais regiões brasileiras.
Há também um outro problema sério sobre a questão da Média de estudo em que os alunos na faixa etária 14 anos. O que se espera é que ao atingir essa idade eles deveriam ter oito anos de estudo, isto é terem concluído o Ensino Fundamental completo, mas essa média escolar só está acontecendo dos 19 aos 24 anos de idade.
O que se apreende é que no Brasil, embora tenha diminuído a taxa de analfabetismo, é importante pensar também como este processo esta acontecendo. Os números apresentam uma situação, mas os fatores que permitem o desenvolvimento desses números que vão ao papel são superficiais. Já que, o analfabetismo diminuiu, contudo, o término do Ensino Fundamental acontece anos depois da idade propícia e este acontecimento. E geralmente, se dá nas vidas das pessoas em cursos de aceleração (EJAS, Telecursos, Ensinos a Distância) que deixam a desejar em formação, por serem sucintos.
Esses fatores nos levam a concluir que as pessoas só retornam a escola depois que vão para o mercado de trabalho e este, requer um nível de formação completa.
E a pergunta que não quer calar: Será que é importante estudar só para ter nível de escolaridade? E o prazer de aprender. Como fica diante desta situação: estudar somente para ter uma conclusão de curso?

Autoras : Eliana Ribeiro da Silva Menegussi & Noemia Marques Nogueira (professoras cursistas do Teia do Saber- Faculdade Japi,23/09/2006)

1 Comments:

Anonymous André Pereira said...

Falar de educação no Brasil é complicado.Bem esse, que há muito foi perdido na sociedade brasileira e que continua se perdendo cada vez mais e aumentando o abismo social.
Devido tudo a uma questão de vontade política das camadas burguesas, que detém o poder, que por questões ideológicas não querem compartilhar esse bem tão precioso que é a educação. Camadas essas que não querem que as camadas mais pobres da sociedade brsileira tenha acesso à educação pois não querem que as massas pensem, porque elas pensando as coisas começam a mudar de figura. Começam conhecer leis, brechas que ameaçam a sua permanência no poder e também de suas gerações futuras, não promovendo a renovação das elites.
E como quem tem poder controla insistem com a educação de péssima qualidade: professores desqualificados e mal pagos, alunos sem interesses, uma estrutura pedagógica arcaica e ocultando toda a "verdade" em relação ao mundo em volta. Tanto que para isso como disciplinas sociólogicas e filosóficas praticamente não existem nos âmbitos escolares para construção do cidadão consciente e crítico.
Daí todo o problema da educação no Brasil, que se mistura com o problema da violência e do desemprego e que por sua vez chega-se a isso. A educação falida como agente à ordenar o povo.
Enquanto não vencermos tais barreiras jamais sairemos de pesquisas horrendas em relação à educação no Brasil.
Como diria Renato Russo na música "Petróleo do Futuro", "Sou brasileiro errado vivendo em separado contando os vencidos de todos os lados".
Infelizmente essa é educação no Brasil.

2:13 AM  

Postar um comentário

Links to this post:

Criar um link

<< Home